Autor: Godoy

NOVOS TEMPOS NAS EMPRESAS

O capitalismo americano está revendo seus conceitos (https://braziljournal.com/, Natalia Viri). O Business Roundtable, associação que reúne companhias americanas com faturamento de mais de US$ 7 tri, decretou que “o lucro não é mais o propósito maior das empresas”. Duas centenas de CEOs estão se comprometendo com clientes, empregados, fornecedores e comunidade. O lucro de longo prazo vem em último lugar. Ora, o que acontece nos EUA logo aqui chega. E, em boa hora, veremos a estratégia de parte dos empresários brasileiros ser reprovada. Já está acontecendo, mas houve um tempo que era admirada e copiada. O lucro em primeiro lugar, a custa da exigência de dedicação extrema dos empregados, principalmente. O sistema de avaliação forçada tinha que recomendar a dispensa de pelo menos 10% do quadro, sob o pretexto de não atender a requisitos de desempenho, até como sinalização aos remanescentes para se dedicarem mais e atingirem patamares mais elevados. A reposição era sempre feita por meio de seleção rigorosíssima. Creio que, como criatura, obra de Deus, todos temos uma missão a cumprir neste mundo. Imbuído deste sentimento e gerenciando pessoas temos que dar oportunidades para que se realizem. Todos temos habilidades! O gestor tem a tarefa nobre de desenvolver talentos para a glória da Criação. As atividades são múltiplas e é sempre possível encontrar desafios para algumas das inteligências, conforme H. Gardner. Faço ressalvas para o casos de...

Leia mais

TRIO GANHA NOBEL DE ECONOMIA EM 2019

Abhijit Banerjee, Esther Duflo e Michael Kremer realizaram pesquisas que ajudam no combate à pobreza e desenvolveram métodos que permitem ações mais eficazes para melhorar saúde infantil e o desempenho escolar Segundo a Academia, as pesquisas do trio mostram que a questão da pobreza pode ser combatida de forma mais eficiente se dividida em questões menores e mais precisas em áreas como educação e saúde, e a partir de experimento de campo em países como Quênia e Índia;Como resultado direto de um dos estudos, mais de 5 milhões de crianças se beneficiaram na Índia de programas de aulas de reforço na escola, e significativos ​​subsídios para cuidados de saúde preventivos foram introduzidos em diversos países.  A FDG- FUNDAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL CONTA COM SISTEMA PRÓPRIO DENOMINADO GIDE AVANÇADA-GESTÃO INTEGRADA DA EDUCAÇÃO E JÁ FOI APLICADO EM 11 ESTADOS BRASILEIROS, BENEFICIANDO 5 MILHÕES DE ALUNOS. A GIDE É APOIADA PELO IFC-ÍNDICE DE FORMAÇÃO DE CIDADANIA E RESPONSABILIDADE SOCIAL, AMBOS IDEALIZADOS PALA PROF. MARIA HELENA GODOY. ESTE INDICADOR CONTEMPLA PLENAMENTE AS CAUSAS PERTINENTES À EDUCAÇÃO E SAÚDE E A MANEIRA EFICAZ PARA DETECTAR AS MAIS INFLUENTES NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM. NÀO DÚVIDA DE QUE A MELHORIA DA EDUCAÇÃO COMBATE A POBREZA. A PROPÓSITO, O GOVERNO DE DE MINAS GERIAS ESTÁ VIVAMENTE EMPENHADO NA MELHORIA DA EDUCAÇÃO. PARA ISTO CONVOCOU A FDG PARA CONTRIBUIR NO...

Leia mais

O FUTURO CHEGOU

Razões há para ficarmos esperançosos. Examinemos o cenário: inflação baixa e sob controle, Selic em queda, diminuição do desemprego, redução da criminalidade, safra recorde, queda de juros nos EUA e Europa, alianças com países vencedores ( acordo do Mercosul com EU, a caminho de ser aliado extra-OTAN e integrante da OCDE). Isto cria um ambiente favorável para que investimentos externos aportem no Brasil. Empresários brasileiros também terão que investir, pois não mais conseguirão elevados rendimentos com a ciranda financeira. O governo vem cumprindo a agenda prometida: reforma da previdência, aprovação da MP da Liberdade Econômica, iniciativas para a desburocratização, redução do tamanho do Estado e seu desejado desaparelhamento, privatizações e concessões em andamento. Muito ainda por vir, como reforma tributária, pacote anticrime, entre outros. A grande mídia não dá destaque a esses fatos, pois continua infiltrada. Além disso, empresários do setor estão esperneando por terem perdido as verbas publicitárias. De fato, não tem o menor sentido governantes alardearem suas realizações. Não é mais do que obrigação executar os projetos necessários ao desenvolvimento do País. À mídia caberia informar os resultados alcançados, como prestação de serviços à população. Quanto às Estatais, tem sentido a Petrobras anunciar seus produtos? Tem o monopólio. A CEMIG, p.ex., precisa divulgar os seus serviços? Há algum concorrente em MG? Na realidade, estas empresas deveriam ser pressionadas a melhorar sua atuação. Empresas de telefonia, p.ex., precisam...

Leia mais

A GESTÃO NO BRASIL

O livro A Gestão no Brasil, 2ª. edição, de autoria do Prof. Carlos Bottrel Coutinho, apresenta uma excelente síntese do que foi o movimento no País. Se fossem narrados os fatos da implementação da gestão nas organizações, teríamos muitos volumes. Foi uma epopeia, história de superação de resistências e de sucessos incontáveis. A implementação da GIDE- Gestão Integrada da Educação, p.ex., idealizada por Maria Helena Godoy, foi e tem sido uma grande aventura, com enormes obstáculos e também com significativos resultados, uma história distinta que merece ser contada à parte. Se houvesse reconhecimento de mérito no País, o que foi sequencialmente feito pela FCO-Fundação Christiano Ottoni/UFMG, FDG-Fundação de Desenvolvimento Gerencial e INDG-Instituto de Desenvolvimento Gerencial seria considerado uma obra extraordinária, sem precedentes, um verdadeiro legado para o Brasil. No início da década de 80, o que existia era irrisório. Hoje há vasto conhecimento disponível e grande número de pessoas competentes que dominam o sistema de gestão e ferramentas gerenciais, graças aos livros textos produzidos, 33 missões técnicas ao Japão e 4 aos EUA, difusão do conhecimento por especialistas estrangeiros, nossos parceiros da JUSE-União de Cientistas e Engenheiros Japoneses , e pela nossa legião de instrutores e consultores. Isso, por meio de congressos, seminários, centenas de cursos abertos e in company e milhares de sessões de assistência técnica para implementação da gestão nas organizações, industriais e de serviços, do setor...

Leia mais

TEMPOS INIGMÁTICOS

Fica difícil desvendar e relatar o que se passa em Brasília. A maioria da população reconhece que o momento é de extrema gravidade, que o País está a beira da falência. As reformas são necessárias para dar o mínimo de segurança a investidores que aqui se aventurarem a aportar recursos em concessões, privatizações e investimentos de outras naturezas. Quando se faz uma análise da situação brasileira, constata-se que estamos defasados em muitas setores, a infraestrutura é sofrível, a produtividade é muito baixa, educação e saúde em níveis inaceitáveis, a segurança precária, o custo Brasil elevadíssimo. A degeneração dos últimos anos é visível, demonstrando que quase tudo está por ser feito ou recuperado. No entanto, a Babel brasiliense é lastimável. Congressistas, que supostamente integram partidos que dariam sustentação ao governo, buscam um protagonismo injustificado. Questões que deveriam ser encampadas de imediato passam a ser questionadas, dando a entender que o Executivo precisaria suplicar aos excelentíssimos representantes do povo por apoio. Devem ser reverenciados, bajulados, reconhecidos e gratificados com benesses. Quanto à oposição, não há como medir palavras para definir a atuação de tais integrantes. A ideologia mata qualquer sentimento de patriotismo que pudesse contribuir para salvar o País. Há uma incapacidade total em fazer um mea-culpa e reconhecer que a responsabilidade pelo buraco em que nos encontramos se deve aos últimos governos dos quais a oposição fazia parte. Além do...

Leia mais